Programa de Tratamento de Feridas Crônicas

Feridas são interrupções na continuidade de um tecido corpóreo. Tal interrupção pode ser provocada por algum trauma ou afecção que acione as defesas do organismo.

As feridas crônicas são lesões que não cicatrizam ou demoram mais de quatro semanas para cicatrizar. Interferem diretamente na qualidade de vida dos pacientes, causando impacto na imagem corporal e tornando-os mais suscetíveis às infecções, sendo o seu tratamento um verdadeiro desafio para os profissionais de saúde.

Entre as feridas crônicas mais comuns, as úlceras diabéticas atingem algo em torno de 15% dos portadores de diabetes mellitus. A neuropatia (perda de sensibilidade nas extremidades inferiores) e a doença vascular periférica geram úlceras no pé e mais da metade dos doentes atingidos desenvolverão uma segunda úlcera.

As úlceras vasculares apresentam etiologia venosa, arterial ou mista. As úlceras vasculares venosas são as mais frequentes. São causadas por insuficiência venosa crônica ou veias varicosas (varizes). O sangue acumula-se nas veias dos membros inferiores causando dilatação, seguida de aumento na pressão intravenosa e edema. Dessa forma, há extravasamento de líquido pelas pernas, causando feridas crônicas de origem venosa. Já, as feridas crônicas de origem arterial são produzidas quando o fluxo sanguíneo para os membros inferiores está diminuído, resultado em isquemia e necrose dos tecidos. As úlceras crônicas de origem mista se caracterizam pela combinação da hipertensão venosa crônica com patologias arteriais periféricas.

Úlceras de pressão (popularmente conhecidas como escaras de decúbito) são feridas crônicas na pele e tecidos moles provocadas por isquemia (falta de oxigênio) tecidual decorrente de uma pressão externa prolongada. Ocorre principalmente em pessoas com alterações de mobilidade, com alterações na circulação periférica, com alterações no nível de consciência ou subnutridas. Alguns fatores são primordiais para o aparecimento de úlceras de pressão, tais como atrito, fricção, umidade, infecção e contato prolongado com fezes ou urina.

A causa principal da falta de cicatrização das feridas crônicas é o tratamento inadequado da sua real etiologia. Antes de tratar as úlceras crônicas, é preciso eliminar ou controlar a patologia de base ou os diversos fatores que podem dificultar uma cicatrização correta. Embora sejam muitos os fatores que dificultam a cicatrização, é notório que a melhoria do estado geral de saúde com hábitos de vida saudáveis traz benefícios ao processo de cicatrização. Além disso, o tratamento localizado das feridas crônicas visa obter tecido de granulação bem vascularizado e sem sinais de infecção, tendo importância crucial no tratamento, contribuindo para uma cicatrização mais rápida e eficaz.

Nosso programa domiciliar de tratamento de feridas crônicas é contratado mensalmente, incluindo teleconsultas médicas e orientações periódicas, apoio de enfermagem e equipe de cuidados da pele qualificada para o tratamento desta afecção. Curativos e medicações tópicas não estão inclusos no valor da mensalidade. Entre em contato conosco para saber qual o melhor planejamento e estratégia para o seu tratamento.

Mais informações e agendamento? Fale Conosco