Carregando...

ESTEJA SEMPRE ATUALIZADO

Informações e novidades relacionados à saúde e bem-estar.

  • 17/08/21

Tendencia e resultados da telereabilitação respiratória no mundo

O conteúdo dos programas de Reabilitação Pulmonar varia globalmente, porém, a forma mais comum de Reabilitação Pulmonar é implementada por meio de um programa de exercícios ambulatorial em hospital. De acordo com uma pesquisa global realizada por representantes de 430 centros de 40 países, 262 (60,9%) eram programas ambulatoriais, enquanto 41 (9,5%) eram programas de internação e 106 (24,7%) centros ofereciam ambos. Apenas 21 (4,9%) programas eram realizados em casa ou em um ambiente de atenção primária. Deve-se observar que, até o momento, a maioria das evidências que sustentam os benefícios da reabilitação pulmonar foi gerada a partir de estudos ou programas de reabilitação pulmonar baseados em hospitais.

Os profissionais de saúde que desenvolvem prescrições de exercícios e supervisionam o treinamento de exercícios, podem ser desafiados pela variabilidade e gravidade da doença do paciente, bem como interpretar e usar os programas de diretrizes/declarações do American College of Sports Medicine (ACSM), American Thoracic Society (ATS), European Respiratory Society (ERS), e/ou American Association of Cardiovascular and Pulmonary Rehabilitation (AACVPR ) Diretrizes e recomendações também estão disponíveis na British Thoracic Society, the Canadian Thoracic Society, e o American College of Chest Physicians / AACVPR.

Apesar dos benefícios conhecidos da reabilitação pulmonar, no mundo real, a frequência dos pacientes e a taxa de conclusão da reabilitação pulmonar são baixas. Alguns estudos mostraram que o transporte insuficiente de ida e volta para programas de em hospitais é a barreira mais comum para a participação. Foi relatado que aqueles que viajaram mais de 30 minutos para um centro de reabilitação eram significativamente menos propensos a completar o programa, do que aqueles que viajaram distâncias mais curtas. Um método de abordar algumas dessas lacunas no atendimento é instituir programas de Reabilitação Pulmonar domiciliares. Há um crescente corpo de evidências que sugere que o treinamento físico domiciliar é viável e pode ser eficaz para melhorar a capacidade de exercício, reduzir a falta de ar e melhorar a qualidade de vida. Notavelmente, os programas domiciliares podem melhorar significativamente a adesão dos pacientes e as taxas de conclusão da reabilitação pulmonar. Um estudo avaliou se a reabilitação domiciliar auto-monitorada foi tão eficaz quanto a reabilitação hospitalar ambulatorial nesses pacientes. Eles descobriram que a reabilitação domiciliar não era inferior aos programas ambulatoriais baseados em hospitais. Outro estudo realizou uma meta-análise e os autores descobriram que a Reabilitação Pulmonar domiciliar resultou em melhorias significativamente maiores na capacidade de exercício e na qualidade de vida relacionada à saúde (QVRS) em comparação com os cuidados usuais.

Devido a pandemia e as limitações citadas, a tendência é abordar as limitações dos programas tradicionais de Reabilitação Pulmonar em hospitais por meio da telerreabilitação. Telerreabilitação (um subconjunto da telessaúde) é o uso de tecnologias de informação e comunicação para fornecer serviços de reabilitação clínica à distância. Ele pode ser fornecido de várias maneiras diferentes, incluindo visitas bidirecionais em tempo real com áudio, vídeo ou ambos; visitas eletrônicas assíncronas; check-ins virtuais; avaliações remotas de vídeos ou imagens gravados; ou serviços de avaliação e gerenciamento por telefone. Pode ser entregue diretamente na casa do paciente ou em um centro de saúde próximo.

Em resposta a esse novo panorama da prática médica, várias organizações, como a American Physical Therapy Association, a Australian Physiotherapy Association e a Italian Physiotherapy Association, expandiram os recursos e o aconselhamento para a implementação de serviços de telerreabilitação. De acordo com o relatório da American Physical Therapy Association publicado em junho de 2020, serviços de fisioterapia foram considerados essenciais pelas autoridades federais, estaduais e locais durante a pandemia.

Seguindo recomendações nacionais e internacionais, os programas de Reabilitação Pulmonar foram orientados a suspender suas atividades e prestar atendimento à distância por meio de soluções de telessaúde (por exemplo, telefone, videochamada, telerreabilitação). Já existiam grandes preocupações sobre a falta de acesso a programas de Reabilitação Pulmonar (em hospitais, cuidados primários ou comunitários) em todo o mundo. Esta situação foi certamente agravada pelo surto de COVID-19 devido à interrupção da reabilitação pulmonar, e também pelo aumento do número de pessoas com doenças respiratórias adquiridas.

Assim torna-se importante um modelo de telerreabilitação que permite todos os componentes essenciais da reabilitação pulmonar, especificamente treinamento de exercício supervisionado e educação de autogestão, para ser entregue em casa, usando equipamento prontamente disponível, com resultados clínicos comprovados e custos comparáveis, esse modelos tem o potencial de mudar dramaticamente a aceitação e acessibilidade da reabilitação pulmonar para todos os pacientes com doença respiratória crônica. Dada a alta evidência científica de reabilitação pulmonar na melhora dos sintomas, domínios fisiológicos e psicossociais em pacientes com doença respiratória crônica, é urgente explorar caminhos inovadores para superar as dificuldades do passado e do presente.

Referências:

Alison JA, McKeough ZJ, Johnston K, et al. Australian and New Zealand pulmonary rehabilitation guidelines. Respirology. 2017;22(4):800–819. doi:10.1111/resp.13025

American Association of Cardiovascular and Pulmonary Rehabilitation . American Association of Cardiovascular and Pulmonary Rehabilitation Guidelines for Pulmonary Rehabilitation Programs. 4th ed. Champaign, IL : Human Kinetics ; 2011 .

American College of Sports Medicine . ACSM’s Guidelines for Exercise Testing and Prescription. 9th ed. Philadelphia, PA : Lippincott Williams and Wilkins ; 2013 : 334-338 .

Bolton CE , Bevan-Smith EF , Blakey JD , et al. British Thoracic Society Pulmonary Rehabilitation Guideline Development Group; British Thoracic Society Standards of Care Committee. British Thoracic Society guideline on pulmonary rehabilitation in adults . Thorax. 2013 ; 68 ( suppl 2 ): ii1-i30 .

Bourbeau J, Gagnon S, Ross B. Pulmonary rehabilitation. Clin Chest Med. 2020;41(3):513–528. doi:10.1016/j.ccm.2020.06.003

Direção-Geral da Saúde. Orientação n° 020/2020 de 03/04/2020: COVID-19: FASE DE MITIGAÇÃO Cuidados de Reabilitação e Respiratórios Domiciliários. URL: https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/orientacoes-e-circulares-informativas/orientacao-n-0202020-de-03042020-pdf.aspx [accessed 21.05.20].

Garvey C, Bayles MP, Hamm LF, et al. Pulmonary rehabilitation exercise prescription in chronic obstructive pulmonary disease: review of selected guidelines: AN OFFICIAL STATEMENT FROM THE AMERICAN ASSOCIATION OF CARDIOVASCULAR AND PULMONARY REHABILITATION. J Cardiopulm Rehabil Prev. 2016;36(2):75–83. doi:10.1097/HCR.0000000000000171

Impact of COVID-19 on the physical therapy profession: a report from the American Physical Therapy Association. [Internet]. Available from: https://www.naranet.org/uploads/userfiles/files/documents/APTAReportImpactOfCOVID-19OnThePhysicalTherapyProfession.pdf. Accessed November 6, 2020.

Maltais F, Bourbeau J, Shapiro S, et al. Effects of home-based pulmonary rehabilitation in patients with chronic obstructive pulmonary disease: a randomized trial. Ann Intern Med. 2008;149(12):869–878. doi:10.7326/0003-4819-149-12-200812160-00006

Marciniuk D , Brooks D , Butcher S , et al. Canadian Thoracic Society COPD Committee Expert Working Group. Optimizing pulmonary rehabilitation in chronic obstructive pulmonary disease—practical issues. A Canadian Thoracic Society Clinical Practice Guideline . Can Respir J. 2010 ; 17 ( 4 ): 159-168 .

Marquis, N., Larivée, P., Saey, D., Dubois, M.-F., & Tousignant, M. (2015). In-Home Pulmonary Telerehabilitation for Patients with Chronic Obstructive Pulmonary Disease: A Pre-experimental Study on Effectiveness, Satisfaction, and Adherence. Telemedicine and e-Health, 21(11), 870–879. doi:10.1089/tmj.2014.0198

McCarthy B, Casey D, Devane D, Murphy K, Murphy E, Lacasse Y. Pulmonary rehabilitation for chronic obstructive pulmonary disease. Cochrane Database Syst Rev. 2015;2:CD003793.

National Health Service. Clinical guide for the management of respiratory patients during the coronavírus pandemic. URL: https://www.england.nhs.uk/coronavirus/wp-content/uploads/sites/52/2020/03/C0063-Specialty-guide-_Respiratory-and-Coronavirus-_v1_26-March.pdf [accessed 25.05.20].

Programa Nacional para as Doenças Respiratórias 2012-2016.Relatório de análise da capacidade instalada de reabilitação respiratória nos hospitais do serviço nacional de saúde. (2015) URL: https://www.dgs.pt/portal-da-estatistica-da-saude/diretorio-de-informacao/diretorio-de-informacao/por-serie-506885-pdf.aspx?v=%3d%3dDwAAAB%2bLCAAAAAAABAArySzItzVUy81MsTU1MDAFAHzFEfkPAAAA [accessed 21.05.20]

Ries AL , Bauldoff GS , Carlin BW , et al. Pulmonary rehabilitation: joint ACCP/AACVPR evidence-based clinical practice guidelines . Chest. 2007 ; 131 ( 5) (suppl ): 4S-42S .

Ries AL , Carlin BW , Carrieri-Kohlman V , et al. ACCP/AACVPR Pulmonary Guidelines Panel. Pulmonary rehabilitation. Joint ACCP/AACVPR evidence-based guidelines . Chest. 1997 ; 112 : 1363-1396 .

Ries AL, Bauldoff GS, Carlin BW, et al. Pulmonary rehabilitation: joint ACCP/AACVPR evidence-based clinical practice guidelines. Chest. 2007;131(5 Suppl):4S–42S. doi:10.1378/chest.06-2418

Rochester CL, Vogiatzis I, Holland AE, et al. An Official American Thoracic Society/European Respiratory Society Policy Statement: enhancing implementation, use, and delivery of pulmonary rehabilitation. Am J Respir Crit Care Med. 2015;192(11):1373–1386. doi:10.1164/rccm.201510-1966ST

Sabit R, Griffiths TL, Watkins AJ, et al. Predictors of poor attendance at an outpatient pulmonary rehabilitation programme. Respir Med. 2008;102(6):819–824. doi:10.1016/j.rmed.2008.01.019

Salawu A, Green A, Crooks MG, Brixey N, Ross DH, Sivan M. A proposal for multidisciplinary tele-rehabilitation in the assessment and rehabilitation of COVID-19 survivors. Int J Environ Res Public Health. 2020;17(13):4890. doi:10.3390/ijerph17134890

Spruit MA , Pitta F , Garvey C , et al. ERS Rehabilitation and Chronic Care, and Physiotherapy Groups; American Association of Cardiovascular and Pulmonary Rehabilitation; AACVPR; ATS

Spruit MA , Singh SJ , Garvey C , et al. An official American Thoracic Society/European Respiratory Society statement: key concepts and advances in pulmonary rehabilitation . Am J Respir Crit Care Med. 2013 ; 188 ( 8 ): e13-e64 .

Spruit MA, Pitta F, Garvey C, et al. Differences in content and organisational aspects of pulmonary rehabilitation programmes. Eur Respir J. 2014;43(5):1326–1337. doi:10.1183/09031936.00145613

© All Rights • IHS - Medicina Domiciliar